5 de ago de 2012

Encontro com o professor de xadrex

Metaficção elevada a cargas elevadas de potência

Acabara de ler na manhã daquele dia o conto Tólia do Ricardo Lísias, presente na coletânea da Granta. O texto é um tanto estranho, mas essa estranheza me chama sempre a atenção.
E lá estava eu entre as estantes quando me chamam e há uma pessoa procurando os livros do Monteiro Lobato. Lá fui eu em busca do 869.33 L. Claro que me enganei, pois o Loba
to fica no 869.34 L. Era para ser 33, por ele ter nascido no século XIX, mas o dito cujo só publicou no século XX, logo é 34! Mas biblioteconomia à parte, encontrei o livro e bem perto dos livros do meu ainda autor preferido passei pelos outros romances do Lísias e ao citá-lo o sujeito me disse: conheço ele! sou o professor de xadrex dele!
- Acabei de ler o conto da Granta, você já viu? Perguntei.
- Claro! Eu sou o professor de xadrex do livro. Respondeu.
- Mas não exatamente como está lá.
Em seguida ele me deu algumas explicações, me indicou alguns livros, sugeriu a compra de alguns autores que gosta e nos despedimos. Ao deixá-lo em meio às estantes saí estupefato, achando que de alguma forma eu estava adentrando no conto, obtendo outra versão da história contada pelo personagem... ou pelo Ricardo Lisias!
O relato parece sem pé nem cabeça. Mas tem explicação. Como o conto mistura realidade e ficção, o personagem fictício apareceu na biblioteca como sujeito real e eu, sujeito real, por um momento pensei ser ficção.
Para finalizar, como eu sempre digo: eu ganho pouco mas me divirto!